...

Terça-feira, 20 de janeiro de 2009.
Postado por Bibiana Friderichs às 14:34.

m
Diálogos VI


Com o filme Madagascar 02, que vale mais pelas tramas paralelas e personagens secundários, como o Moto-Moto, os Pingüins (dizem que não existe mais trema...em todo caso...) e o fantástico Rei Julian, do que pelo enredo principal e o chato do Alex!


Segue o meu trecho favorito:


Certo dia, acaba toda a água da Savana...
m
Rei Julian:
- Preste atenção eu vou ajudá-los. Só há um meio de conseguir sua preciosa àgua. Eu, seu amado Rei Julian , devo fazer apenas um pequeno sacrifício para meus amigos deuses da água, lá no vulcão!
M
Rinoceronte:
- E como isso funciona?
M
Rei Julian:
- Como funciona? Ótima pergunta! Eu jogo o meu sacrifício lá no vulcãozinho. Aí os deuses amigos vão comer o meu sacrifício.

Conversa entre o Rei Julian e os deuses da água, encenada pelo próprio Rei:
- Hummm muito bom!
- Ah, vai comer outro sacrifício.
-Não obrigado, já comi demais.
- Eu vou ficar muito chateado se vc não aceitar mais um sacrifício.
- Não quero comer outro sacrifício. Me esquece!
- Mas olha só pra vc, tá só pele e osso.
- Não já comi demais, vou engordar.

Rei Julian:
- Os deuses comem o sacrifício, ficam agradecidos me dão sua água, e eu dou pra vcs.
m
Glória:
- O quê?

Animal da savana:
- E vai funcionar?

Rei Julian:
- Não! Quer dizer... Sim. Dá uma ajuda Morris!

Morris:
- Hummmm... meio à meio.

E a savana explode em alegria... He He He He...
m
m
P.S.:
01 - Ver trecho do filme aqui! (em inglês).
02 - Adoramos ser iludidos por reis, super-heróis e soluções fáceis... Viu! Alguém já disse certa vez que vivemos em um simulacro, onde tudo é só fragmentos e representação... né Baudrillard?!
m
m

posted under | 4 Comments

sons I



É um poema/música que conheci tempos atrás, mas ainda combina com os meus pensamentos de um novo ciclo ... círculo... triângulo... quadrilátero... losângulo... pode escolher qualquer forma calendar que queria, qualquer mesmo, aquela que melhor servir pra entender o teu mundo, assim como entendo o meu:


"até os dias de chuva tem suas cores..."
m
m
Breve Oração De Virada De Ano
m
música de Arthur De Faria sobre poema de Daniel Galera

Deus, por favor não mais permita que os cachorros me
dirijam olhares tristes por trás das grades do jardim das casas.

Deus, poupe-me também dos olhares tristonhos das
empregadas que contemplam a cidade apoiadas nas sacadas dos prédios.

Tira, por favor, de todos os asilos, os adesivos do
Ecco Salva afixados nas paredes.
Que as vastas platéias de cinema sejam sempre ocupadas
por uma única pessoa, e que na saída do filme chova
invariavelmente.

Bota fim, Deus, a esse constrangimento injustificado
que faz com que as pessoas desistam de trepar e dar
abraços, mesmo quando elas sabem que isto seria necessário.

Convence a todos da impossibilidade do amor, e observa
enquanto descobrem o amor como a única possibilidade.

Quanto aos pecados capitais, peço que tornes a Gula
compatível com a Vaidade, a Preguiça compatível com a
Avareza, a Ira compatível com a Inveja, e que a
Luxúria soterre todas as anteriores.

Acabe com a Aids, Deus.

Que todos tenham plena consciência de que vão morrer
definitivamente, e que na hora da morte não possam
evitar um breve sorriso de desobediência infantil. E
conserva os dentes dentro de nossas bocas, para que
apodreçam conosco.

Que persista no tempo apenas aquilo que fomos capazes
de criar.

Peço que amanhã de manhã, Deus, eu seja acordado com o
peso familiar de um certo corpo em cima do meu.

Que o sol invada minha barraca, brando, resignado.
Então será o ano 2000, mas não fará diferença.

posted under | 0 Comments
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial
    ****

    "ao reescrever o que dissemos, protegemo-nos, vigiamo-nos, riscamos as nossas parvoíces, as nossas suficiências (ou insuficiências), as hesitações, as ignorâncias, as complacências; [...] a palavra é perigosa porque é imediata e não volta atrás; já a scriptação tem tempo à sua frente, tem esse tempo próprio que é necessário para a língua dar sete voltas na boca; ao escrever o que dissemos perdemos (ou guardamos) tudo o que separa a histeria da paranóia" (BARTHES, 1981, p.10).

    ****

quem é a garota da vitrine?

Minha foto
Sou formada em Radialismo e Jornalismo pela Universidade de Passo Fundo e desde 2004 atuo como professora dos cursos de Comunicação Social na mesma instituição. Ainda na UPF, fiz especialização em Leitura e Animação Cultural, e recentemente concluí o doutorado pela PUCRS. Sempre trabalhei com o universo radiofônico, pelo qual sou apaixonada. Gosto particularmente das suas aproximações com a arte. Minhas últimas descobertas de pesquisa rondam em torno da produção de sentido (em nível verbal e não-verbal) sob a perspectiva semiológica.

****

pelo caminho...

lendo... só lendo e imaginando uma história da nossa suposta história...

Eu, robô de Isaac Asimov

de Brenda Rickman Vantrease sobre os poderes que se interdizem desde o início dos tempos.

****

velhos escritos

o que são scriptografias e outras escrivinhações?

O título deste blog foi inspirado nas observações feitas por Roland Barthes a cerca do processo de produção e significação dos textos que circulam pela prática social. Ele fala em scriptação, escrita, escritor e escrevente. No entanto, o nome scriptografias e outras escrivinhações, não passa de uma "licença" poética, por assim dizer, com o objetivo de nominar um espaço de livre expressão, em formatos e temas que fazem parte do meu cotidiano, assim como do cotidiano de quem por aqui passar.
    hola !


    Seguidores

    Super Oficina

    A lista de links que vocês está vendo abaixo, refere-se aos blogs criados pelos meus alunos, da 7ª e 8ª série, da Escola Baltazar de OLiveira Garcia, em Porto Alegre. A oficina durou 04 encontros, durante os quais buscamos conhecer e dominar as ferramentas da internet e as plataformas que hospedam blogs. A proposta era criar um oportunidade de autonomia na produção de conteúdo no espaço online.

Recent Comments